domingo, 10 de abril de 2011

Os botijões de GLP

Há algumas situações práticas em que o líquido e o vapor de uma substância coexistem num recinto fechado. É lógico que, nessas condições, o vapor estará sempre exercendo a pressão máxima de vapor. 
Um caso bem conhecido é o dos botijões de "gás" liquefeito de petróleo (GLP), muito utilizado nas cozinhas.
O "gás" (na verdade, vapor) se encontra no estado líquido, em equilíbrio com o vapor, que está exercendo pressão máxima de vapor. Quando se abre a válvula, escapa vapor (que será queimado), o que tende a fazer baixar a pressão. Para que o equilíbrio se mantenha, uma parte do líquido se vaporiza, de modo que a pressão reinante não se modifica, continuando o vapor a exercer pressão máxima de vapor. O processo vai se repetindo continuamente, até que se esgote o líquido.
Os isqueiros descartaveis baseiam-se no mesmo princípio.
Fonte:
Física - Ciência e Tecnologia
Volume 2
Paulo César M. Penteado e Carlos Magno A. Torres
Editora Moderna

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dica de Leitura - Vamos filosofar

A FILOSOFIA NA DESCOBERTA DE UM MANUSCRITO - Marcos Leite Filho de mineiros, da cidade de Ervália, o autor Marcos Leite (Marcos Eduar...