domingo, 31 de julho de 2011

2012 - Ano Internacional das Cooperativas

A ONU PROCLAMA 2012 COMO O ANO INTERNACIONAL DAS COOPERATIVAS
Site oficial do evento: http://social.un.org/coopsyear/



2011 - Ano Internacional da Química - Ano Internacional das Florestas




Página Oficial no Brasil: http://quimica2011.org.br/



Você sabia?

Matemática - μαθηματικά

A palavra "Matemática" tem origem na palavra grega "máthema" que significa Ciência, conhecimento ou aprendizagem, derivando daí "mathematikós", que significa o prazer de aprender.

A palavra matemática deriva da palavra grega "matemathike“. Matema=compreensão, explicação; thike=arte. Portanto, a matemática é a arte da compreensão e da explicação. O mundo está repleto de números e de formas e através da matemática, adquirimos a capacidade de compreender e explicar esse mundo.
Fonte: http://professoresdaeia.blogspot.com/2009/02/origem-da-palavra-matematica.html

A palavra "matemática" vem do grego μάθημα (mátema) que significa "ciência, conhecimento, ou aprendizado" e μαθηματικός (matematikós), significando "fundação do aprendizado". Hoje o termo refere-se a um ramo específico do conhecimento - o estudo dedutivo de quantidades, estruturas, espaço e mudanças.

A palavra Matemática tem sua origem na palavra grega μάθημα (mathema) que significa conhecimento, aprendizagem, estudo. Com o tempo, o sentido da palavra tornou-se mais específico e técnico. Atualmente é frequentemente definida como o estudo de padrões, quantidades, estruturas, variações e espaço.
Fonte: http://profrobertonepomuceno.blogspot.com/2011/02/origem-da-palavra-matematica.html









sábado, 30 de julho de 2011

Ornitorrinco, o três em um: réptil, pássaro e mamífero

A espécie de 40 cm de comprimento faz parte da família dos monotremados: a fêmea produz leite para alimentar os filhotes e são ovíparos. Sua pele é adaptada à vida na água e o macho possui um veneno comparável ao das serpentes.
É uma verdadeira charada ambulante. Tem quatro patas, um bico e dentes quando é pequeno. É peludo, mas as patas dianteiras são como asas. As traseiras têm esporões venenosos. Bota ovos, choca-os e depois amamenta os filhotes. É o ornitorrinco. O ornitorrinco vive na Austrália e na Tasmâmia, às margens dos rios e banhados.
Links:

Discovery Channel - Ornitorrinco, o sobrevivente silencioso (Dublado)

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Planta Pedra - Lithops

Parece uma pedra, um pedregulho de rio. Originária da África do Sul é uma minúscula suculenta da família Aizoaceae.
As plantas suculentas são aquelas nas quais a raiz ou as folhas foram engrossadas para permitir o armazenamento de água em quantidades muito maiores que nas plantas normais.
Lithops é um gênero botânico pertencente à família Aizoaceae. As plantas pertencentes a este gênero são chamadas "pedras vivas" ou "planta pedra". É uma suculenta anã quase sem caule. O caule é curtíssimo e se encontra abaixo da superfície da terra.







Links úteis sobre a "Planta Pedra":
Lithops
A guide to the cultivation of Lithops
LITHOPS....an introduction
LITHOPS
ABC das Suculentas

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Hoje é o Dia de São Cristóvão

Viveu em 251 DC e é o patrono dos viajantes e é um dos "Quatorze Santos Ajudantes" que apareceram para Santa Joana D’Arc. Um mártir, São Cristóvão chamado Kester morreu em Lycia ,na Ásia Menor (atualmente Turquia). Diz a tradição que ele era um homem muito forte que ajudava as pessoas a cruzarem o rio. Um dia um menino pediu para ajuda-lo e São Cristóvão colocou-o nos ombros e começou a atravessar o rio. A cada passo a criança ficava mais pesada e São Cristóvão se esforçava ao máximo para salvar o menino. São Cristovão disse a criança que estava muito difícil e que parecia estar carregando o mundo! E a criança respondeu:" Não fique surpreso! Você está carregando o mundo, voce carrega o criador do mundo nos ombros! O menino era Jesus!
Por isso São Cristovão é invocado por todos antes de fazerem uma jornada. Raramente se vê um taxi ou onibus sem a medalhinha de São Cristovão em alguns lugar do painel. Christopher significa "carregador de Cristo". (Christo-phoros). As sua relíquias estão em Roma e Paris. Ele é invocado contra acidentes. Em algumas cidades é costume os motoristas levarem seus veículos para serem bentos no dia 25 de julho na igreja de São Cristóvão. Existe uma tradição antiga, que diz que quem olhasse a imagem de São Cristovão, passaria aquele dia sem qualquer dano. Daí a grande quantidade de imagens e pinturas de São Cristovão nas Igrejas, lojas e residências.





domingo, 24 de julho de 2011

Machu Picchu - 100 anos de sua redescoberta

O Doodle Google homenageia hoje a cidade de Machu Pitchu. É o primeiro centenário de sua redescoberta.

Machu Picchu é o sítio arqueológico mais conhecido da América do Sul. Fica a aproximadamente 150 km de Cuzco no Peru. As ruínas ficam em uma montanha a 2.560 metros de altura acima do nível do mar e recebem a visita de aproximadamente 500 mil turistas por ano. A porta de entrada para Machu Picchu é a cidadezinha de Águas Calientes, cujo nome oficial pouco usado internacionalmente é Machu Picchu Pueblo, ponto final da linha de trem turística, e onde ficam quase todos os hotéis e restaurantes.
Machu Picchu é a mais velha conhecida ruína inca, porém pouco se sabe de sua história. Nada é mencionado nas crônicas dos conquistadores espanhóis. Conta-se que a cidade foi poupada porque não sabiam de sua existência. Por isso ela durou ainda uns séculos mais. O sítio foi descoberto pelo historiador americano Hiram Bringman em 24 de julho de 1911. O sítio diferia muito do que hoje conhecemos. Estava coberto pela floresta. Machu Picchu foi também um grande centro de estudos, onde se ensinava Astronomia, Agronomia, Medicina e Arquitetura. Por isso, é considerada a primeira Universidade das Américas. Muitos esqueletos foram encontrados, sendo 80% de mulheres. Uma recente teoria diz que era a cidade das mulheres escolhidas do Inca e que já estava vazia quando os espanhóis chegaram na região. Isto explica porque não foi mencionada pelos conquistadores.
Fonte: http://wikitravel.org/pt/Machu_Picchu


Para saber mais sobre Machu Pitchu:

domingo, 17 de julho de 2011

Provérbio ou Ditado Popular

Provérbio ou ditado popular é uma sentença de caráter prático e popular que expressa de forma sucinta, e não raramente figurativa, uma ideia ou pensamento. Os provérbios também são designados por anexim, rifão, adágio, aforismo, máxima, dito popular, sentença popular e apotegma.

Provérbios do Brasil:
- Na casa de Gonçalo, a Galinha canta de Galo.
- Não há regra sem exceção.
- Bezerro manso mama em todas as vacas.
- Gato escaldado tem medo de água fria.
- Cachorro mordido de cobra tem medo de linguiça.
- Cavalo de cachaceiro conhece o caminho do boteco.
- Jogar verde para colher maduro.
- Quando o macaco não pode comer a fruta, ele diz que ela está podre.
- Ninguém é profeta em sua terra.
- Em terra onde não existe carne, urubu é frango.
- Quem tem boca vai a Roma.

Provérbios de Portugal:
- Águas passadas não movem moinhos.
- Quando Deus quer, água fria é remédio.
- A fome é o melhor tempero.
- A ociosidade é a mãe de todos os vícios.
- Uma mão lava a outra e as duas lavam o rosto.
- O pior cego é aquele que não quer ver.
- Cachorro mordido de cobra, tem medo até de barbante.
- O que não tem solução, solucionado está.
- De grão em grão, a galinha enche o papo.

Provérbios Árabes:
- Pela repetição, até o asno aprende.
- Todo homem é mais parecido com sua época do que com seu pai.
- Se há muitos comandantes, o navio afunda.
- Adversidades são grandes oportunidades.
- Por causa da rosa, a erva daninha acaba sendo regada.
- Defeito que agrada o sultão, vira virtude.
- Não dá trela ao desocupado: ele fará de ti a sua ocupação.
- Muro baixo, o povo pula.

Provérbios Africanos:
- Quem faz perguntas, não pode evitar as respostas.
- Como a ferida inflama o dedo, o pensamento inflama a mente.
- Quando o galo está bêbado, esquece-se do gavião.
- É a água calma e silenciosa que afoga um homem.
- Para quem não sabe, um jardim é uma floresta.
- A lua move-se lentamente, mas cruza a cidade.
- Quando o rato ri do gato há buraco perto.

Provérbios Chineses:
- A mais alta das torres começa no solo.
- Quando um homem descobre que seu pai tinha razão, geralmente já tem      um filho que o acha um errado.
- A língua resiste porque é mole; os dentes cedem porque são duros.
- Ser pedra é fácil. O dificil é ser vidraça.
- O cão não ladra por valentia, mas sim por medo.
- Se você quer manter limpa a sua cidade, comece varrendo sua casa.
- Escava o poço antes que tenha sede.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Os meses do ano


Janeiro - homenagem ao deus Janus, da mitologia romana. Janus é representado por uma figura olhando em direções opostas. Janeiro é mês que "olha" para dois anos, o que passou e o ano novo.


Fevereiro - homenagem ao deus Februus, deus da morte e da purificação na mitologia etrusca. Seu nome originou a palavra februarius, fevereiro em latim.

Março - homenagem a Marte, deus da mitologia romana. Chamado de Ares na mitologia grega. Na Roma Antiga, Marte (Ares na mitologia grega) deus da Guerra, mas também associado à fertilidade, ao crescimento e ao vir-a-ser, é um dos deuses mais proeminentes e adorados. Filho de Júpiter e Juno, de acordo com algumas fontes, Marte é pai de Romulo e Remo com a vestal Rhea Silvia, por ter sido pai dos fundadores de Roma, os romanos chamavam a si próprios de filhos de Marte.

Abril - O seu nome deriva do Latim Aprilis, que significa abrir, numa referência à germinação das culturas. Outra hipótese sugere que Abril seja derivado de Aprus, o nome etrusco de Vênus, deusa do amor e da paixão.

Maio - É o quinto mês do calendário gregoriano e tem 31 dias. O seu nome é derivado da deusa romana Bona Dea da fertilidade. Outras versões apontam que a origem se deve à deusa grega Maya, mãe de Hermes.



Junho -  É o sexto mês do calendário gregoriano e tem 30 dias. O seu nome é derivado da deusa romana Juno, mulher do deus Júpiter.



Julho - É o sétimo mês do ano no Calendário Gregoriano, tendo a duração de 31 dias. Julho deve o seu nome ao imperador romano Júlio César, sendo antes chamado Quintilis em latim, dado que era o quinto mês do Calendário Romano, que começava em Março. Também recebeu esse nome por ser o mês em que César nasceu.



Agosto - Do latim Augustus, é o oitavo mês do calendário gregoriano. É assim chamado por decreto em honra do imperador César Augusto. Este não queria ficar atrás de Júlio César, em honra de quem foi baptizado o mês de julho, e, portanto, quis que o “seu” mês também tivesse 31 dias. Antes dessa mudança, agosto era denominado Sextilis ou Sextil, visto que era o sexto mês no calendário de Rômulo/Rómulo (calendário romano).


Setembro - sétimo mês do Calendário Romano. Vem de septem, sete em latim.

Outubro - oitavo mês do Calendário Romano. Vem de octo, oito em latim.

Novembro - nono mês do Calendário Romano. Vem de novem, nove em latim.

Dezembro - décimo mês do Calendário Romano. Vem de decem, dez em latim.

Obs.: O Calendário Romano data da fundação de Roma e mudou sua forma diversas vezes até a queda do Império Romano. Os primeiros calendários romanos são chamados de pré-julianos e são utilizados até 46a.C. O calendário juliano foi utilizado até 1582.








sexta-feira, 8 de julho de 2011

A origem dos nomes dos dias da semana


Os nomes dos dias da semana em português originam-se da liturgia católica.
"Feira" vem de feria, que, em latim, significa "dia de descanso". O termo passou a ser empregado no ano 563, após um concílio da Igreja Católica na cidade portuguesa de Braga - daí a explicação para a presença do termo somente na língua portuguesa. Na ocasião, o bispo Martinho de Braga decidiu que os nomes dos dias da semana usados até então, em homenagem a deuses pagãos, deveriam mudar. Mas espera aí: se feria é dia de descanso, por que se usa "feira" apenas nos dias úteis? Isso acontece porque, no início, a ordem do bispo valia apenas para os dias da Semana Santa (aquela que antecede o domingo de Páscoa), em que todo bom cristão deveria descansar. Depois acabou sendo adotada para o ano inteiro, mas só pelos portugueses - no espanhol, no francês e no italiano, os deuses conti- nuam batendo ponto dia após dia. As únicas exceções assumidas pelos nossos irmãos bigodudos - e depois incorporadas nas colônias portuguesas - foram sábado e domingo (Prima Feria, na Semana Santa), que derivam, respectivamente, do hebreu shabbat, o dia de descanso dos judeus, e do latim Dies Dominicus, o "Dia do Senhor". Desde 321 os calendários ocidentais começam a semana pelo domingo. A regra foi imposta naquele ano pelo imperador romano, Constantino, que, além disso, estabeleceu definitivamente que as semanas teriam sete dias. A ordem não foi aleatória: embora na época os romanos adotassem semanas de oito dias, a Bíblia já dizia que Deus havia criado a Terra em seis dias e descansado no sétimo e, ao que tudo indica, os babilônios também já dividiam o ano em conjuntos de sete dias. 
fonte: http://mundoestranho.abril.com.br/materia/por-que-os-dias-da-semana-tem-feira-no-nome




Domingo é o dia do Sol (dies Solis --> Prima Feria --> Dominica dies --> Domingo)




Segunda-feira é o dia da Lua (dies Lunae --> Lues --> Secunda Feria --> Segunda-feira).




Terça-feira é dia de Marte (dies Martis --> Martes --> Tertia Feria --> Terça-feira).




Quarta-feira é o dia de Mercúrio(dies Mercurii --> Mércores --> Quarta Feria --> Quarta-feira).




Quinta-feira é o dia de  Júpiter (dies Iovis --> Joves --> Quinta Feria --> Quinta-feira).



Sexta-feira é o dia de Vênus (dies Veneris --> Vernes --> Sexta Feria --> Sexta-feira).



Sábado é o dia de Saturno (dies Saturni --> Septima Feria --> Sabbatum --> Sábado).


 







Latim Pagão
Latim Vulgar
Significado
Latim litúrgico I
Latim litúrgico II
Português

dies Solis

Solis dies

Dia do sol

Prima Feria

Dominica dies


dies Lunae

Lunae dies

Dia da lua

Secunda Feria

Secunda Feria


dies Martis

Martis dies

Dia de Marte

Tertia Feria

Tertia Feria


dies Mercurii

Mercurii dies

Dia de Mercúrio

Quarta Feria

Quarta Feria


dies Iovis

Iovis dies

Dia de Júpiter

Quinta Feria

Quinta Feria


dies Veneris

Veneris dies

Dia de Vênus

Sexta Feria

Sexta Feria


dies Saturni

Saturni dies

Dia de Saturno

Septima Feria

Sabbatum
sábado

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Cia.2 de Teatro estréia o espetáculo FACÍNORA na Casa de Cultura Laura Alvin no Rio

Facínora é uma comédia de humor negro que faz uma crítica a intolerância humana. Pelos próprios predicativos que o nome título associa-se – perversa, cruel, má, desalmada - a personagem foco(Bruno Caldeira) é a própria versão desses adjetivos, e nos mostra uma realidade com críticas mordazes, expondo toda a sua ironia e sarcasmo contra a sociedade e opiniões públicas. Porfírio(Gustavo Rizzotti), seu marido, mudo, e por vezes, cáustico e patético, representa a sociedade cúmplice.
A Cia. 2 de teatro foi fundada em 1994 pelos mineiros Gustavo Rizzotti e Frederico Magella, integrando o ator Bruno Caldeira em 2004. Participou de nomeados Festivais Nacionais e Internacionais, sendo a primeira Cia. Brasileira a se apresentar na Rússia no ano de 2.000 na cidade de Rostov-on-don, onde participou abrindo o MINIFEST 2.000 com o espetáculo QUE BICHO ÉSSE?, e obteve grande êxito em países como: Equador, Argentina, Chile, México, Peru, Colômbia, Bulgária, Tunísia e Turquia. Inserido em uma linguagem própria, o repertório da companhia inclui espetáculos que misturam teatro físico, teatro de imagens, teatro gestual, música, artes plásticas, mímica, ilusionismo e dança contemporânea. A dramaturgia ganhou força com o espetáculo “Réquiem para um sonho”no Espaço Cultural Sérgio Porto: último trabalho adulto da companhia com sucesso de público e crítica. Nessa mesma linha do “teatro provocativo”, o texto toma frente com a personagem Facínora, sem deixar de buscar na criação, uma linguagem diferenciada. Provocativo e ousado, FACÍNORA é o décimo texto escrito por Bruno Caldeira, primeiro em sua direção, em contrapartida ao décimo trabalho realizado pela Cia.2. O espetáculo estreou no VAC – Verão de Arte Contemporânea, em Belo Horizonte em fevereiro deste ano,um evento importante no quadro cultural de Minas Gerais, onde gerou polêmica, e foi convidado a ser pauta de estudo como tese final de mestrado da advogada Flávia Leão no seu curso de Gestão Cultural da UFMG. Após assistir ao espetáculo 03 (três) vezes, ela mesma discorreu: “As frases ditas pela personagem são fortes e questionadoras. Leva o público a pensar”

“Facínora encena o pior de nós” - Jornal Hoje em Dia / Belo Horizonte

Serviço:
FACÍNORA –Texto: Bruno Caldeira.Direção Coletiva de Bruno Caldeira e Gustavo Rizzotti-Com Bruno Caldeira e Gustavo Rizzotti
Facínora é uma comédia de humor negro que faz uma crítica a intolerância.
Casa de Cultura Laura Alvim
Sala Rogério Cardoso
Av.Vieira Souto,176 Ipanema
Terças e Quartas, às 21 hs. R$30,00. 55 minutos
Temporada: de 05 de Julho a 31 de Agosto
Não recomendado pra menores de 16 anos.

FICHA TÉCNICA
Autor: Bruno Caldeira
Elenco: Bruno Caldeira (Facínora) e Gustavo Rizzotti (Porfírio)
Cenário, figurinos e trilha sonora: Bruno Caldeira
Iluminação: Gustavo Rizzotti
Direção: Bruno Caldeira e Gustavo Rizzotti
Coordenação de produção: Frederico Magella
Realização: Cia.2 de teatro
Divulgação: Frederico Magella
Contatos: 2549-8015 e 83764930
fredericomagella@yahoo.com.br

Sapo no Saco

E era o sapo dentro do saco E o saco com sapo dentro E o sapo fazendo papo E o papo fazendo vento E era o sapo dentro do saco E o saco ...